Subscribe Now
Trending News

A combinação da Walt Disney com os estúdios Pixar, já têm um portfólio recheado de filmes de animação de alta qualidade. Desta vez chega-nos Soul, uma animação produzida pela Walt Disney Pictures juntamente com a Pixar Animation Studios, e distribuída pela Walt Disney Studios Motion Pictures. Soul é uma animação cómica, trazida para os espectadores neste Natal exclusivamente via streaming (pela Disney +), dirigida por Peter Docter (conhecido pela sua direção em Monster, Inc., Up, Inside Out; entre outros trabalhos dentro do mundo cinematográfico).
Sendo a musicalidade um elemento fulcral sobre o qual gira toda esta aventura, um dos principais destaques desta animação é a banda sonora, composta pelo músico do Nine Inch Nails, Trent Reznor em parceria com Atticus Ross. A trilha sonora relativa à temática de jazz é realizada por Jonathan Batiste.
O elenco de voz de Soul é agradavelmente diversificado, sendo constituído por Jamie Foxx (o reconhecido ator norte-americano que já venceu um Óscar como melhor ator pela interpretação de Ray Charles, no filme Ray), Tina Fey (uma atriz, comediante e produtora de televisão, já tendo arrecadado vários prémios com a série 30 Rock), Angela Bassett (uma ilustre atriz norte-americana que já participou em filmes como: Black Panther, London Has Fallen, Mission: Impossible – Fallout, entre outros), Alice Braga (tendo participado nos filmes I Am Legend e The Rite), entre outros.

O Grande Além…

Joe Gardner (Jamie Foxx) é um professor de música a tempo parcial, que sempre sonhou em realizar espetáculos de música jazz. Certo dia, para sua surpresa, a sua vida muda de uma forma que ele não estava à espera, pois em primeiro, a escola em que trabalha decide lhe oferecer um horário completo, que quando conta à sua mãe (Libba Gardner – Phylicia Rashad) esta fica radiante, por ver, finalmente, a vida do seu filho ganhar um rumo melhor. Após de contar a novidade à sua mãe, Joe recebe uma chamada de um dos ex-alunos que o convida a ir a uma audição, podendo assim se juntar a ele e à renomada música Dorothea Williams (Angela Bassett).
Neste momento Joe, vê a sua vida de uma forma que nunca pensara, passou a ser um professor a tempo inteiro, e têm por fim a possibilidade de pertencer a uma banda de jazz de renome, contudo, nem tudo é sempre um mar de rosas, e o destino prega-lhe uma partida, quando Joe estava prestes a realizar o seu sonho.

Pois, enquanto Joe passeava pela cidade de Nova Iorque, todo feliz com o que lhe estava a acontecer, caí num buraco e quando desperta verifica que está a caminho do Grande Além (dando-nos a entender que tenha falecido).
Perante isto, Joe recusa-se a terminar a sua vida naquele momento, no que seria o início da sua grande carreira como músico, fazendo de tudo para escapar do Grande Além. O protagonista faz de tudo para escapar deste local, caindo para o desconhecido, até que chega a um novo mundo todo colorido e feliz (ao contrário do Grande Além).
Confuso com toda a situação que estava a vivenciar, Jerry, uns dos governadores deste mundo colorido, explica-lhe que Joe está no Grande Ante-Vida, que é o local onde todas as almas constroem a sua pré-personalidade, antes irem para a Terra, e assim nascerem como seres humanos.
Jerry indica o local onde as almas podem chegar à Terra, Joe ansioso por realizar o seu sonho musical, lança-se na “estrada” que o levará a casa, mas, as coisas não funcionam assim, apesar de tentar várias vezes (sem sucesso), é lhe explicado que só quem tem o passe (a pré-personalidade construída e completa com a “chama”) pode “viajar” para o novo Mundo.

Joe perdido, confuso e sem saber muito bem o que pode fazer para regressar ao mundo dos vivos, vê uma oportunidade de se tornar mentor de uma recém alma a encontrar a sua “chama” e assim, roubar-lhe o passe para regressar.
Ao falsificar a sua identidade Joe consegue se tornar mentor, sendo-lhe atribuída a mentoria de uma das almas mais antigas do Grande Ante-Vida, a alma 22 (Tina Fey), uma jovem alma imatura, irresponsável e problemática (visto, não querer encontrar a sua “chama” e deseja ficar para sempre no Grande Ante-Vida), que sempre rejeitou os conselhos de todos os mentores que tivera (até mesmo de algumas mentes mais notáveis que surgiram ao longo da história) e, cuja teimosia, fornece a esta animação o seu ponto central de conflito, como também, o caminho para a autodescoberta, quer para a própria alma 22 quer para o protagonista desta aventura.
Ao passarem pelas várias salas do conhecimento, onde é possível encontrar algo para acender a “chama”, é-nos revelado que Joe, sempre teve a certeza sobre o seu destino, desde que viu um espetáculo de jazz com o seu pai, quando era um jovem. Neste momento, Joe explica à alma 22 o porquê de querer regressar ao mundo dos vivos. Perante isto, os dois decidem fazer um pacto, em que Joe ajudará a alma 22 a encontrar a sua “chama” e esta oferece-lhe o passe para Terra.
Ao longo da sua jornada, Joe aprende com 22 e aceita que, embora possa sentir que sua vida não tem sentido, ele é capaz de encontrar o sentido na falta de algo específico na sua vida. Ele compreende que não sabe o que há pela frente da sua vida, mas, admite que isso é que torna o futuro mais emocionante e é o que o faz se sentir verdadeiramente vivo.
Será que Joe com a sua orientação irá conseguir com que a alma 22 encontre o seu propósito e paralelamente realizar o seu sonho musical?

O Grande Ante-Vida…

Soul é uma aventura fantástica, misturando alguns temas mais pesados, como a mortalidade, obsessão e o próprio sentido da vida, de uma forma simples, divertida, mas, sem perder o impacto dos temas. Esta aventura faz com que o espectador contemple a sua própria vida, as suas crenças e como a vida é equivalente ao jazz para Joe. Soul é repleto de entretenimento, inspirador, divertido e adequado para todas as idades.
A animação e a musicalidade que nos acompanha, mostram a habilidade e o talento dos seus criadores. Estas encontram-se bem coordenadas, criando momentos particularmente agradáveis nas sequências da vida após a morte (principalmente nos momentos de transição entre mundos, Grande Além para Grande Ante-Vida). Quanto às composições de jazz de Batiste, estas são a “vida” do filme, pois sem elas Joe não teria a sua inspiração e não conseguiria ficar na “the zone”. Isso é visível quando os dedos de Joe se agitam pelas teclas do piano ou quando vê a sua aluna a soprar ritmicamente no seu trompete, sendo possível vislumbrar a cor, a vida e o significado/relevância da música para estas personagens.
Quanto à narrativa, esta foi realizada de forma que o público de todas as idades possa encontrar algo para se divertir. No entanto, por tentar agradar a todos, esta fica um pouco aquém no desfecho final da estória, acabando por tornar toda a premissa e construção de personagens com pouco significado (podendo-se tornar irrelevante).
A nível de interpretação de vozes dos atores, é de destacar o desempenho de todos os atores, mas principalmente do trabalho realizado por Tina Fey e Angela Bassett, dando “vida” às suas personagens, alma 22 e Dorothea Williams respetivamente. As tonalidades e os pequenos sons que estas atrizes fazem em certos momentos, dão outro impacto à estória.
Para o mais atentos, destaca-se os fantásticos “easter eggs” que estão inseridos durante toda a animação, desde o pormenor de uma conversa de Joe com a sua mãe, em que esta refere Ray (indicando-nos uma referência a Ray Charles, o mundialmente conhecido músico que Jamie Foxx interpretou), até ao aparecimento do também mundialmente conhecido castelo da Disney.
Embora o tema principal do filme seja como os personagens encontram o seu propósito para a vida, este também aborda questões sobre os nossos sonhos e o preço dos mesmos. Em suma, mesmo com algumas personagens não tão expressivas e com um enredo na fase final menos impactante, Soul é um filme maravilhoso, lindamente animado, com uma mensagem com significado e propósito, sendo uns dos filmes animados do ano, ao par de Over the Moon e WolfWalkers, em que certamente iremos ver estes 3 a competir pelo Óscar de melhor filme animado.

Partilhamos, convosco o trailer desta animação com alma…

8.0
Score

Pros

  • Interpretação de Tina Fey e Angela Bassett
  • Banda sonora
  • Animação e cenários
  • Moral da estória

Cons

  • Desfecho final, tornando o desenvolvimento de algumas personagens, com pouco significado
  • Algumas personagens menos impactantes

Related posts