Subscribe Now
Trending News

Esta semana chegou ao cinema uma nova adaptação, para o do bestseller de Frank Herbert, Dune, realizado por Denis Villeneuve (famoso e galardoado realizador canadiano, reconhecido pelos seus trabalhos em Maelström, Polytechnique, Incendies, Enemy, Prisoners, Sicario, Arrival, Blade Runner 2049, entre outros). Para além da realização, Denis também faz parte da equipa de argumento e produção. Esta longa-metragem, conta com a cinematografia de Greig Fraser (diretor de fotografia australiano, responsável por filmes como, Let Me In, Foxcatcher, Lion ou Rogue One: A Star Wars Story), na edição contamos com Joe Walker (editor cinematográfico, que fez parte da equipa que trabalhou em longas-metragens como, 12 Years a Slave, Sicario, Arrival, Blade runner 2049, entre outros), e ainda temos como compositor de Dune, Hans Zimmer (o veterano compositor galardoado germanico, que escusa quaisquer apresentações, responsável pela composição da banda sonora de filmes como The Lion King, trilogia de The Dark Knight, Inception, The Da Vinci Code, Interstellar, entre outros tantos de enormíssima qualidade). Dune é ainda distribuído pela empresa Warner Bros., juntamente com as companhias de produção, Legendary Entertainment e Villeneuve Films.

Esta viagem mítica e emocional, possui um extenso elenco internacional, com muitas caras conhecidas do grande público, tais como: Timothée Chalamet (jovem ator franco-americano, que iniciou a sua carreira em curtas-metragens e séries de TV, fazendo a sua estreia em longas metragens em 2014,no drama Men, Women & Children. Ganhou maior reconhecimento pelos seus papéis em Interstellar, Lady Bird, Hostiles, Call Me by Your Name estando indicado ao Óscar de melhor ator, entre outros), Zendaya (atriz e cantora americana, tendo chamado a atenção em 2017 dos fãs do Universo Marvel, com a sua interpretação como Michelle “MJ” Jones no filme Spider-Man: Homecoming, assim como os apreciadores de musicais, no mesmo ano, pelo seu desempenho em The Greatest Showman. Ela repetiu este papel no Spider Man Far From Home, assim como o subsequente, ainda por estrear, Spider Man No Way Home), Jason Momoa (ator que iniciou a sua carreira primeiramente no pequeno ecrã, dando o salto para o cinema em Conan the Barbarian. No entanto, ficou mais conhecido na série mundialmente conhecida, Game of Thrones, e seguidamente ao entrar no Mundo da DC, representando um dos seus maiores heróis, no filme Aquaman, Batman v Superman: Dawn of Justice e Justice League), Rebecca Ferguson (atriz sueca reconhecida pelas suas participações na indústria do cinema como, Hercules, Mission: Impossible – Rogue Nation e Mission: Impossible – Fallout, The Girl on the Train, The Greatest Showman, The Snowman, e mais recentemente em Reminiscence), Oscar Isaac (ator e músico de origem guatemalteca, conhecido pelos seus trabalhos em Inside Llewyn Davis, A Most Violent Year, Ex Machina e em Star Wars: The Force Awakens), Stellan Skarsgård (veterano ator sueco, reconhecido pelos seus papéis em filmes como Good Will Hunting, Pirates of the Caribbean: Dead Man’s Chest, Mamma Mia!, The Girl With the Dragon Tattoo e também pelo seu papel Dr. Erik Selvig em vários filmes do Universo Marvel), Javier Bardem (ator espanhol galardoado, reconhecido pelo seu trabalho em Skyfall, No Country for Old Men, Biutiful, Vicky Cristina Barcelona, Before Night Falls, Jamón, jamón, Pirates of the Caribbean: Dead Men Tell No Tales, etc), Dave Bautista (ator americano, conhecido pelo seu desempenho nos filmes House of the Rising Sun, The Man with the Iron Fists, Riddick, Spectre e Blade Runner 2049. No entanto, a personagem mais conhecida do grande público é Drax the Destroyer, do Universo da Marvel que nos foi introduzida no filme Guardians of the Galaxy), entre outros atores, tais como, Josh Brolin, Charlotte Rampling, Chang Chen, etc..

Arrakis…

Dune, tal como referido anteriormente, é baseado no bestseller homónimo, que é sobre estória, num futuro distante, de um Universo que é governado por várias Houses (basicamente fações ou casas) da nobreza, estando estas, maioritariamente, sob o comando do Império. Dune, como é conhecido o planeta desértico de Arrakis, contém a especiaria mais rara e importante do Universo (pois com esta é possível realizar viagens interestelares mais seguras), está sob alçada da “tirania” da casa de Harkonnen.

Esta aventura inicia com um ato controverso, pois a casa de Harkonnen abandona Arrakis (voltando para Giedi Prime, o seu planeta natal), sem razão aparente, deixando a possibilidade do Império se apoderar deste planeta.

Assim, e tal como previsto, Arrakis é deixando à mercê do Império, e por consequente, em conselho é decido entregar à casa de Atreides (sendo realizada esta cerimónia em Caladan o planeta natal da casa de Atreides), para o governar. Esta é uma família nobre muito influente no conselho e que tem ganho estatuto ao longo dos tempos. O duque de Atreides, Leto Atreides (Oscar Isaac), aceita de bom grado tal desafio, tendo como objetivo “libertar” os habitantes de Arrakis, da tirania que passaram anteriormente e tentar criar relações com estes locais, os Fremen.

No entanto, a Lady Jessica (Rebecca Ferguson), teria outros planos na “manga”, pois existe uma profecia, sobre que um dia o Messias (ou Lisan al-Gaib) vai chegar a Arrakis para salvar todo o Universo, e por isso ela tem treinado o seu filho, Paul Atreides (Timothée Chalamet), pois acredita que ele é “o escolhido”, visto este ter visões do futuro (teoricamente).

Aparentemente, tudo corre como o duque Atreides tinha planeado, começando a estabelecer laços com os locais, através dos seus batedores, entre os quais o melhor amigo de Paul, o guerreiro Duncan (Jason Momoa).

Após se instalarem, o duque e o seu filho, querem ver como funcionam as colheitas da tão conhecida especiaria, que faz com o que os locais tenham os olhos azuis devido à exposição frequente a esta. Mas, assim que Paul entra em contacto com esta, tem uma reação intensa, e os seus sonhos/visões tornam-se cada vez mais exacerbados.

Esta duna é um deserto, onde a água é muito escassa, e os locais tiveram de se adaptar para sobreviver, utilizando ferramentas que filtram e reutilizam o desperdício de água, quer seja do seu suor ou de outra forma de libertação de água, para terem água para beber.

Não é fácil de viver em Arrakis, pois além destas condições extremas, existem criaturas gigantescas que habitam nas suas profundezas, tornando qualquer passeio (mesmo que seja pequeno) bastante perigoso.

Mas, além destas ameaças neste planeta que a família Atreides tem de enfrentar, existe uma muito maior fora dele, os Harkonnen, liderados por Baron Harkonnen (Stellan Skarsgård). Pois esta ambiciosa e gananciosa Casa, quer dominar este Mundo cheio de riquezas, e por isso planeam exterminar todos aqueles que poderão por em causa os seus planos.

Lisan al-Gaib

Dune, de forma geral, é um filme muito satisfatório, que para quem conhece a estória original, por detrás de toda esta grande produção, vai ficar muito agradado com a adaptação realizada por Denis Villeneuve.

É notório a complexidade que Denis teve e todo o empenho dado para produzir esta épica da ficção científica, pois desde cedo, é-nos apresentada uma longa-metragem acessível, devido à quantidade de detalhes nela presente (pois são-nos introduzidos vários acontecimentos, mas de forma subtil). Tal apresentação, é um desafio enorme, para qualquer realizador trabalhar tantos detalhes em simultâneo, sem tornar o filme demasiado enfadonho (algo que seria muito fácil de acontecer). Contudo, apesar desta leveza na introdução deste Universo, acredito que alguns dos espectadores possam sentir algum desgaste.

Denis Villeneuve é diretor e também um dos argumentistas deste filme, assumindo que algumas destas simplificações da adaptação ficaram no limiar do exagero, pois existiram alguns cortes que são essenciais à construção do Universo de Dune. Devido a estas, ocorrem omissões e lacunas nesta magnífica estória, como por exemplo, a casa de Harkonnen, sendo apenas passada a mensagem que Dune é um confronto entre o bem contra o mal, sendo este muito mais que um simples embate, pois têm propósitos, situações muito mais pertinentes e até “pesadas” questões sociais (infelizmente, bastante atuais).

A sinergia existente entre o diretor e o compositor (Denis Villeneuve + Hans Zimmer), é magistral, apresentando as linhas de tensão na perfeição, transmitindo ao espectador a sensação de perigo, urgência, estranheza, solidão e até mesmo mau estar ou algo de muito mau está para acontecer. Toda esta forma, muito peculiar, de apresentar Dune, mesmo a nível de caracterização, da narrativa, dos diálogos, das expressões (que valem muito mais do que “mil palavras”), ajudam a imergir no planeta Arrakis e nos desafios nele existentes.

Interpretação do elenco, em geral é sublime, destacando-se principalmente Timothée Chalamet, que se entrega de forma exímia de corpo e alma ao papel de Paul Atreides, sendo por vezes superado pela interpretação de Rebecca Ferguson e de Stellan Skarsgård (pois sempre que a sua personagem está em cena, “rouba” todas as atenções, além de apenas com um olhar consegue ter uma enorme presença). Contudo, apesar do bom desempenho dos atores, salienta-se que alguns personagens também sofreram adaptações, apresentando traços de personalidade um pouco diferentes do livro, possuindo menor impacto, como Lady Jessica e Baron Harkonnen, sem tirar qualquer mérito ao trabalho destes atores.

Em termos mais técnicos, este filme possui uma qualidade extrema, desde cinematografia, que é um deslumbre aos olhos, com uns cenários formidáveis, exibindo planos abertos do Mundo, sendo possível observar neles os mais soberbos (micro) detalhes. A edição do som, complementa esta longa-metragem na perfeição, e tal como referido anteriormente, a banda sonora é algo que nos acompanha desde do primeiro minuto até ao último, de forma sublime e maravilhosa (acredito que muitos dos espectadores, saiam das salas de cinema e vão querer desfrutar deste soundtrack, durante muito tempo).

Em suma, a adaptação de Dune para o grande ecrã, continua a ser um projeto de risco e bastante ambicioso, no entanto, o trabalho de Denis supera as expectativas. No entanto, temos a percepção que falta algo, provavelmente devido como o Mundo é exibido, pois somos “lançados” sem qualquer introdução às diversas fações, famílias, rivalidades, costumes, línguas, etc. Contudo, é algo que pode ser que fique em stand-by, pois numa possível sequela, estes pormenores poderão ser mais explorados e explicados. Como referido anteriormente, todo o trabalho técnico roça a perfeição, e as interpretações são magníficas, sendo assim um filme bastante enriquecedor (que recomendamos).

Partilhamos, convosco o trailer desta fantasia épica de ficção científica…

8.0
Score

Pros

  • Direção e adaptação de Denis Villeneuve
  • Interpretação do elenco em geral, principalmente: Timothée Chalamet, Rebecca Ferguson e de Stellan Skarsgård
  • Extrema qualidade técnica
  • Banda sonora
  • Cinematografia
  • Sinergia entre diretor e compositor
  • Design de produção

Cons

  • A plateia é "atirada" para o filme, com pouco contexto sobre o seu Universo
  • A adaptação e os cortes, diminuíram impacto de algumas personagens relevantes
  • Pormenores essenciais à construção do Universo são ignorados/omitidos (ex.: casa de Harkonnen entre outras, e todo o Mundo político)

Related posts