Subscribe Now
Trending News
Análises, Jogos

Monster Hunter Rise (Nintendo Switch) – Análise

Se existe uma franquia que veio a crescer ao longo dos anos foi Monster Hunter, começou na PlayStation 2, mas só começou a ganhar a sua popularidade, a partir das portáteis PSP e Nintendo 3DS. No entanto foi com o lançamento do World que a Capcom começou a receber um enorme numero de jogadores que pretendiam caçar monstros numa consola de geração.

Monster Hunter foi um jogo que sempre me custou a engolir, sempre que estava prestes sair um novo jogo na 3DS, ao mesmo tempo era lançada uma demo e para dar uma oportunidade ao jogo experimentava. Contudo, nunca me agarrou, pois na altura não percebia o que tinha de fascinante carregar em botões aleatórios até um monstro cair.

Mais tarde, após 2 anos depois da chegada do World experimentei-o, agarrou-me e comecei a adorar o conceito do jogo, sendo a melhor a parte caçar com amigos estas gigantes criaturas. Por isso pela primeira vez fiquei ansioso para um jogo de Monster Hunter, ainda por cima para a Nintendo Switch. Experimentei a sua demonstração e adorei todas as novidades e para quem estava cético em relação ao desempenho do jogo, digo que estou surpreendido, a RE Engine é incrível (até acho que o jogo ficou melhor na sua versão final).

Os Palamutes juntam-se ás caçadas

Este novo titulo promete implementar novas mecânicas, mais monstros e uma nova espécie de mascotes, os Palamutes. Adoráveis criaturas que se assemelham a caninos e as quais podemos podemos montar para chegar mais rapidamente ao objetivo (também é possível fazer festas a eles).

A narrativa deste novo jogo como já é costume, não é nada de por alí e além pois, não é de todo o foco do jogo, está lá apenas para existir o motivo para o que temos de fazer, que é caçar monstros.

A sua premissa agarrou-me, um jogo da serie que se passa num pseudo período do Japão Feudal é algo que resulta bastante bem, desde a apresentação do jogo até à banda sonora.

Os mapas do jogo são enormes e estão repletos de surpresas, mas o que torna a exploração dos mesmos tão divertida é a implementação tanto dos Palamutes como dos Wyrebugs. São o grande destaque deste jogo e são extremamente divertidos. Digo que o sentimento é o mesmo que balançar com as teias como se fossemos o homem aranha.

Uma experiência incrível para quem tem interesse em caçar monstros, em todo o lado

Como referido anteriormente a banda sonora deste titulo é fascinante, todas as faixas tem um estilo nipónico que nos imerge neste maravilhoso mundo, incluindo a musica que ouvimos quando vamos comer os saborosos Dongo. Admito que a mesma ficou na minha cabeça. A musica de apresentação dos monstros, é acompanhada por os clássicos instrumentos que são reconhecidos na cultura japonesa e para auxiliar existe um narrador que fala por trás que e conta a historia dos monstros, dando assim um sensação de mistério à caçada.

Outras das adições ao jogo foi o modo Rampage que funciona como um Tower Defense, no qual é nos colocado vários monstros para podermos derrotar para impedir a sua forçada entrada pelos os portões. Para nos ajudar nessa tarefa temos ao dispor uma variedade de armas como canhões, bestas que podem ser controladas por nós ou NPCs. Ainda é possível pedir ajudar aos personagens que estão presentes no jogo para nos ajudar estas bestas, no final é um modo divertido e diferente que coloca em pratica a nossa estratégia e técnicas de combate para derrotar os monstros.

Tenho que referir obrigatoriamente aqui como é a experiência online na Nintendo que é reconhecida pela sua má reputação, no entanto a experiência é surpreendentemente excelente. Após varias horas de jogo não houve uma única vez que a ligação tenha ido a baixo, a ligação com os jogadores é rápida e a interceção entre os mesmos não tem problemas. A Nintendo e a Capcom estão de parabéns e espero ver mais títulos com esta qualidade de servidores nos próximos títulos a chegarem à Nintendo Switch.

Para os que são novatos, este é um excelente titulo para começar, o jogo é extremamente convidativo explicando tudo e mais alguma coisa para os que começaram as caçadas. O tutorial é simples e fácil de entender o que facilita a entrada no mundo destas temíveis criaturas.

Pode não ser para todos

No entanto é um jogo que tem muita repetitividade após o modo historia sendo que irão caçar um monstro muitas vezes e para quem não é fã desse estilo pode ser um entrave para poder jogar o jogo, outro dos problemas que o jogo que tem e que é era mais que previsível, é a estabilidade do jogo, que na grande parte do tempo ser decente e jogável, existirão momentos em que jogarão a 15fps graças à grande quantidade de “objetos” que estão no ecrã.

Até agora, o melhor jogo de 2021

Os fãs vão adorar e os novos jogadores conhecer todo este fantástico mundo que é Monster Hunter, para quem tem uma Nintendo Switch é quase obrigatório sendo pelo menos para mim um dos melhores jogos do inicio deste ano. Sem esquecer que existe muito conteúdo gratuito pelo caminho que chegará em breve e que estenderá a “vida do jogo”.

Uma pequena opinião de alguém que já jogou varias franquias… (Daniel Silva)

Perante tudo dito em cima pelo João, venho aqui deixar um pequena reflexão de quem já conhece a franquia a algum tempo. Para vos dar algum contexto jogo Monster Hunter desde da PSP, passei pelo da Wii (Monster Hunter Tri) e mais recentemente pelo World na PS4.

A pergunta que fiz antes de o adquirir, que para ser muito sincero estava remitente em fazer-lo, foi o que seria de diferente de todos os outros? Bem… Para ser sincero, existe bastantes diferenças (como já foram reveladas em cima), e essas trouxeram muita alegria enquanto jogava. Desde o modo de jogar com amigos estar muito melhor, podermos alterar os sticks e metermos as nossas mensagens personalizadas e fazer o modo online inteiro com os nossos amigos e companheiros sem andar a repetir no modo historia são algumas das diferenças que me faz jogar mais e acredito que vai ser estas pequenas alterações vão agarrar os velhos jogadores e o novos também.

Para concluir esta análise deixo-vos com a informação que para quem está indeciso e jogou as demos que saíram antes de Monter Hunter Rise aconselho em verem mais sobre o jogo antes de tomarem qualquer decisão, porque o que o estas demos mostraram foi um pequeno fragmento de como o jogo está. E para aqueles que já tem o jogo e já estão a sentir falta de mais, não desesperem que ainda neste mês haverá atualizações.

9.0
Score

Pros

  • A adição do Wyrebug e as suas mecânicas
  • Os Palumes são uma excelente ajuda
  • Tema Nipónico no jogo é excelentemente aplicado
  • Banda Sonora
  • O modo online funciona sem falhas
  • Não existem muitos problemas de performance

Cons

  • ...mas quando acontecem são chatos
  • Para os que não gostam de grinding, pode ser um entrave

Related posts