Subscribe Now
Trending News
Análises, Jogos

Traffix (Nintendo Switch) – Análise

Este ano fomos surpreendidos com a notícia da parceria entre a Nerd Monkeys com a Infinty Games, para desenvolver um port de Traffix para a Nintendo Switch. Este é o segundo port lançado para a Nintendo Switch este ano, pois tivemos o prazer de jogar Inspetor Zé e Robot Palhaço em: Crime no Hotel Lisboa (podem ler a analise aqui).

Controlar o trafico de varias cidades do Mundo

A premissa deste jogo é controlar o tráfico automóvel, através de vários semáforos dispersos pelo mapa e fazer os com que os condutores viagem em segurança (de forma a que eles sigam o caminho correto). Nesta experiência, estão presentes inúmeras estradas (que estão localizadas um pouco por todo o Mundo), desde Berlim até Lisboa e (como é óbvio), com o passar do tempo, este vai tornando-se cada vez mais desafiante.

Um ar simplista, porém complexo

Traffix apresenta uma estética simples, no entanto, para garantir uma melhor identificação dos veículos estes possuem cores distintas, em que os brancos conseguimos controlar e os pretos não. É necessário muita concentração, para executar todos os níveis sem cometermos qualquer erro, pois só nos é permitido falhar 10 vezes.
Mesmo assim, é bastante fácil cometer equívocos, tais como provocar um acidente, ou até demorar imenso tempo a mudar a luz dos semáforos. Este jogo é uma experiência que assenta bem na Nintendo Switch, pois podemos começar a jogar rapidamente sem necessitar de contextualização.
No entanto, não é só isto que faz com que este título nos garanta um tempo bem passado, pois o uso das funcionalidades da consola são bem-vindas, e (de certa forma) melhoram o jogo em si. Para começar, o HD-Rumble é uma implementação que nos auxilia durante as fases, fazendo os controlos vibrar perante certos acontecimentos, chamando a nossa atenção em certos momentos da aventura. Também é possível selecionar o toque de forma a garantir uma melhor experiência para todos.

O jogo para testar a nossa paciência

Como já mencionado, é preciso muita concentração durante a execução das diferentes ações (que poderá desgastar a nossa paciência), para resolver os enormes engarrafamentos, que poderão (por muitas vezes) serem provocados por nós próprios.
Numa fase inicial, poderá aparentar ser um jogo relaxante, devido ao seu design, mas, não se deixem enganar, pois é possível ficarem irritados (provavelmente vos irá sair alguns comentários “menos próprios” e/ou insultos) e tudo por culpa das infrações que são cometidas.
Para quem gosta de obstáculos mais complexos e conduzir a toda velocidade, existe um modo mais desafiante, que é desbloqueado à medida que completam os diferentes níveis. Só que, em vez de auxiliarem cidadãos comuns, têm o privilégio de controlar os semáforos para os veículos da polícia, porém basta bater em qualquer veículo e serão obrigados a recomeçar o nível em questão.
Um dos problemas, que se destacam, é não sermos gratificados, nem ao conseguirmos obter as três estrelas em todos os níveis e nem ao concluir os mesmos (mesmo optando por um nível superior de dificuldade).

Uma experiência para quem procura relaxar/irritar

A parceria entre estas duas equipas, resultou numa experiência de controlar semáforos, a partir da adorada consola da Nintendo. Este jogo é uma boa forma de treinar a nossa concentração, a nossa paciência e, em simultâneo, provocar um rage interno.
Em suma, apreciei bastante este projeto e estou ansioso para ver as experiências que estes “macacos” irão desenvolver futuramente (visto que eles já usaram grande parte das funcionalidades da Switch. Será que os Motions é o próximo passo?).

7.0
Score

Pros

  • Design simples é bastante prático para a sua jogabilidade
  • Assenta bem na Switch
  • Desafiante
  • Adições referentes ás funcionalidades da Switch proporcionam uma melhor experiência

Cons

  • Não existe uma recompensa por terminar o modo "challenge"

Related posts