Subscribe Now
Trending News
Análises, Jogos

Inspetor Zé e Robot Palhaço em: Crime no Hotel Lisboa (Nintendo Switch) – Análise

Para todos os que não conhecem esta fantástica experiência, este é um jogo português (como devem ter percebido pelo título), desenvolvido pela Nerd Monkeys. Na altura chamou-me a atenção devido ao uso do clássico género point and click e ao local onde se passa toda a ação, Lisboa. De ressalvar que foi-nos possível experienciar esta aventura, devido à cópia fornecida pela Nerd Monkeys.

Um inspetor, um robô e um crime no hotel Lisboa

Esta aventura é protagonizada pelo Inspetor Zé e pelo seu companheiro Robô palhaço, em que ambos vão resolver um mistério que aconteceu num hotel na zona. Após um longo tempo sem o inspetor Zé solucionar um caso, Garcia o seu grande amigo e polícia, vem ao seu auxílio para lhe pedir que vá até ao local, para perceber o que se passou naquele exato lugar. Ao chegar, depara-se com um corpo no chão ensanguentado e é lhe dito que a vítima cometeu suicídio, com 14 facadas nas costas. Cabe a esta dupla perceber o que realmente aconteceu e descobrir o verdadeiro culpado (porque não é possível uma pessoa auto apunhalar-se nas costas). Isso leva-nos a uma aventura pelas ruas de Lisboa, onde temos de interrogar vários indivíduos, procurar pistas e ouvir as piadas do robô palhaço.

Um Point and Clink à portuguesa

Como indicado lá em cima esta aventura trata-se de um point and click ás antigas e para controlarmos ambos os protagonistas e escolher os objetos ou personagens que queremos interagimos tocando no ecrã ou pelos manípulos dos comandos. Esta trata-se de uma excelente maneira de re jogar ou de conhecer todo este intrigante mundo criado pela Nerd Monkeys, em suma trata-se de um excelente port feito pela equipa, com os inputs bem colocados e estes tornam a experiência bastante acessível e indicada para jogar em qualquer lado. Com o seu elenco de personagens que nos fazem querer saber mais sobre este eles e o local. Originou a que eu clica-se onde quer que fosse para saber o que aconteceria se interagisse com o que quer que seja. O uso da paródia no jogo também é usado de uma forma não só para satirizar Portugal como a indústria dos videojogos em si, vai ser difícil não se aperceberem das inúmeras referências colocadas. Um elemento que me fascina e que torna este jogo único é a sua apresentação, pois toda esta peripécia ocorre como se estivéssemos a ver uma representação teatral ou seja muitas vezes temos a interação do publico em múltiplas ocasiões durante toda a aventura e existem alturas especificas em que até os personagens interagem com a plateia. Tudo isto não seria possível graças à incrível pixelart presente que é um verdadeiro regalo para os olhos desde ao design dos personagens, aos backgrounds e as variadas animações. E para complementar este mundo temos o acompanhamento da banda sonora que nos relembra os clássicos filmes de detetives e que nos imerge nesta investigação. Apesar de ser uma curta experiência esta quando terminada ainda tem muita coisa para se fazer e muitas surpresas estão envolvidas.

Como mencionado anteriormente, esta aventura é um point and click à antiga, onde  para controlar ambos os protagonistas, escolher os objetos ou personagens que queremos, temos de interagir tocando no ecrã ou nos manípulos do comando. Esta trata-se de uma excelente forma, de se jogar e de conhecer todo este mundo intrigante, criado pela Nerd Monkeys. Em suma, trata-se de um excelente jogo concebido pela equipa, com os inputs bem colocados e que tornam a experiência bastante acessível. Com um elenco de personagens, que nos despertam a curiosidade, e que fazem querer saber mais sobre eles e o local da ação. Isto fez com que eu clicasse, onde quer que fosse, para saber o que aconteceria se interagisse com o que quer que seja.

A paródia no jogo também é usada, não só como uma sátira a Portugal, mas também à indústria dos videojogos. Só os mais distraídos é que não irão se aperceber das inúmeras referências cómicas colocadas. Um elemento que me fascina, e que torna este jogo único, é a sua apresentação, pois toda esta peripécia ocorre como se estivéssemos a ver uma representação teatral, ou seja, muitas vezes temos a interação do público ou das personagens com a plateia, em múltiplas ocasiões durante toda a aventura.

Tudo isto apenas é possível, devido à incrível pixelart presente, o que é um verdadeiro regalo para os olhos, desde o design de personagens, aos backgrounds e as variadas animações. Para complementar este mundo, temos uma banda sonora que nos faz lembrar os filmes clássicos de detetives e nos faz imergir nesta investigação. Apesar de ser uma curta experiência, ainda temos muitas surpresas e coisas a fazer mesmo quando esta termine.

Algumas imperfeições

É um jogo muito bem conseguido, porém, em diversos momentos deixou-me intrigado, como por exemplo, a movimentação ser ligeiramente arrastada pelos protagonistas, o fez com que usasse constante o táxi dentro dos edifícios, para acelerar o ritmo (sim, é isso mesmo que vocês leram, chamar um táxi dentro dos locais é possível neste jogo, incrível não é?).

Deixa-nos com vontade por mais

Contudo, mesmo com estas pequenas imperfeições, esta continua a ser um perfeita oportunidade para reviver as diversas aventuras com estes dois, ou então, experienciar pela primeira vez esta misteriosa aventura. Entretanto fico à espera da sequela no mesmo formato.

8.0
Score

Pros

  • Port bem conseguido
  • Todo um mundo para interagir
  • Sátira sobre a nossa cultura e da industria dos videojogos
  • O pixelart é um ragalo para os olhos
  • A acção, decorre como uma peça teatral
  • A interação do publico com os personagens
  • Conteúdo catita após terminar a aventura principal
  • Banda sonora

Cons

  • Movimentação lenta dos protagonistas

Final Verdict

Línguas: inglês, português; Tamanho do download: 80,00 MB

Related posts