Subscribe Now
Trending News
Análises, Jogos

Forza Horizon 5- Análise

Eu sou muito fã de jogos de corridas, especialmente simuladores. Obviamente que Forza sempre foi um tema de conversa, então, quando surgiu o Xbox Game Pass, a primeira coisa que fiz foi jogar o Forza Horizon 4 e o Forza Motorsport 7. Apesar de preferir a franquia Motorsport, Forza Horizon sempre me deu bons momentos com os meus amigos e de pura diversão. Quando cobri a conferência da Xbox na Gamescom, fiquei muito empolgado com o trailer de gameplay do mais recente Forza Horizon 5, especialmente pelo incrível AMG One. Certo dia, recebemos a notícia que a XBox Portugal nos tinha oferecido uma chave do Pack Premium do Forza Horizon 5, “atropelei” toda a gente da redação da Caixa Nerd e fiquei logo com ela. Será que este jogo corresponde ao Hype existente ao seu redor?
Ter a oportunidade de apreciar e analisar este título, antes do seu lançamento oficial, é algo que agradeço. Sendo assim, o meu sincero muito obrigado, pelo fornecimento da chave, à Microsoft e Xbox Portugal.

Salienta-se que esta review tem em consideração vários parâmetros, dos quais seguidamente vou indicar. O jogo foi (versão PC) instalado em dois equipamentos diferentes. Primeiramente, num PC capaz de rodar o jogo facilmente, com gráficos no máximo de qualidade, e outro exatamente ao contrário, um PC com os requisitos mínimos para rodar o jogo no modo “low”. No primeiro PC joguei com comando e no segundo (pior PC) joguei com um T150 da Thrustmaster. Assim é possível analisar a experiência de gameplay para todos os públicos. Ressalva-se também, que review será apenas da componente offline do jogo. E a terceira coisa é que as imagens que irão passar na vossa tela, bem como o conteúdo desta análise são referentes a uma versão do jogo antes do lançamento, pelo que provavelmente alguns erros que vou adiantar aqui podem vir a ser resolvidos mais tarde. Então vamos lá!

Um Mundo completo

Nos 4 dias em que tive acesso antecipado ao jogo, joguei umas boas horas, o suficiente para experimentar um pouco de tudo, mas muito longe de experienciar 100% do potencial do jogo. Muitos podem pensar que é por preguiça ou lentidão, mas não. São mais de 500 carros, incluindo os recentes AMG One e o novo Ford Bronco, carros modelos da capa do jogo. Para além da imensidão de carros, tem uma quantidade enorme de upgrades para eles, peças, customizações e pinturas. As possibilidades são enormes. Para além disso, existem uma infinidade de missões e corridas diferentes. Tens corridas on-road, off-road, cross country e outro tipo de eventos, como as expedições, importantes para a exploração do cenário, o “Goliath”, uma corrida enorme, à volta de todo o mapa, os Super 7, conjunto de mini provas espalhadas pelo mapa e muito mais. E mesmo que não estejas satisfeito, a quantidade de vida e beleza ao longo do mapa já é suficiente para ficares vidrado um bom tempo sem fazer nada em específico. Mesmo assim achas pouco? Ainda tens o Eventlab, ferramenta que permite criares as tuas próprias provas. Juntando isso tudo a uma imensidão de marcas de peças, marcas de pneus, óleos, etc, que deixam o jogo com um realismo diferenciado, Forza Horizon 5 é a prova que condensar muito conteúdo diferente e original num jogo que tinha tudo para ser redundante e repetitivo é um autentico sucesso. Na versão de XBox, até podes ligar o Spotify ao rádio do carro, tornando a experiência mais completa e realista.
O mapa é o que me fascina mais. Tens tudo: desde troços de terra batida para explorarem as tuas habilidades no drift, até pequenos desertos, para testarem as vossas competências de todo o terreno. Ainda tens praias, florestas, pequenas vilas, e claro, muito asfalto. O mapa ainda conta com alterações climáticas e de período do dia muito naturais e garantem um dinamismo engraçado ao jogo. Para mim, este é o maior ponto positivo deste jogo, a quantidade de pormenores no que toca ao conteúdo. Estão de parabéns, mas nem tudo são rosas…

Uma gameplay que me deixa…de pé atrás

Confesso que sou suspeito, uma vez que, como já disse, a minha preferência seja mesmo o Forza Motorsport. Mas, este título peca um pouco no quão arcade ele é. O realismo de condução sofre um pouco com esse caráter mais informal do jogo e, para mim, perde com isso. Os carros de tração traseira raramente a perdem, mesmo que tires todas as ajudas, os carros são muito colados ao chão em curva e a colisão é um defeito (para mim). Bater em rails ou divisórias, ou até mesmo em pedras, é tão fácil e sem consequência, que nem ligas bem para onde vais. E nem perdes praticamente pace ou velocidade nenhuma quando deixas por vezes o asfalto e vais para terra, sendo até um caráter mais de vantagem do que de desvantagem. Quando passas do comando para o volante, esses problemas vão desaparecendo: já notas umas diferenças entre o asfalto e a terra, no que toca à tração, o carro já se torna mais arisco e difícil de conduzir. O force feedback no volante é bastante competente, desafiador, empolgante e duro. Acho agressivo demais, mas nada de muito agressivo e tudo ajustável.
Contudo, nem tudo é mau, os NPCs são dos mais simpáticos que já apanhei em jogos do estilo. Não atrapalham, não andam sempre na mesma linha e são muitíssimo desafiantes. Eu que tenho alguma experiência no estilo de jogo (embora continue um aselha de primeira, e o nosso editor de vídeo que o diga na edição), tive algumas dificuldades em apanhá-los, especialmente no arranque. E já que estamos a falar de aselhas, não se preocupem. O jogo tem excelentes opções de acessibilidade e modos de dificuldade diferentes. Algo positivo porque, para além de aselhas, pessoas com diferentes tipos de problemas, como daltonismo, também querem jogar.

Gráficos e Frame Rate, uma surpresa agradável

Em termos de gráficos, há pouca coisa a apontar. O Ray Tracing é incrível nas pinturas metalizadas dos carros, as paisagens são belíssimas, tudo possui muitíssimo detalhe. No entanto, ainda precisa de algumas atualizações, entre outros pontos, como por exemplo o brilho, pois em algumas situações este fica tão forte, que não se consegue ver o que se tem pela frente; e também nota-se alguma falta de textura em certas ocasiões e bugs de imagem (umas aqui e ali). Tudo normal para um acesso antecipado, mas que tem de ser corrigido.
As animações do carro são muito boas, na parte externa, especialmente na área dos amortecedores, contudo peca no interior. Apesar do detalhe no design interior do carro, muitas vezes os movimentos das mãos do personagem ficam aquém da expectativa dum jogo desta dimensão. Muitas vezes o volante balança com muita força, para o movimento real do carro ou então trocar mudanças no ar, não acertando nas borboletas de mudança de velocidade dos volantes de alguns carros (é bizarro).
A Frame Rate é bastante estável. No modo de gráficos máximos só tive uma queda de frames para 30 FPS, numa corrida à chuva e com muitos carros, de resto, teve entre os 56 e os 60 FPS. No modo Ultra, o segundo melhor, os FPSs subiram para entre 95 e 100, sempre muito estável.
Quando se passa para o PC pior, a surpresa ainda foi maior. Sem tela cheia, o jogo rodou numa frame rate de 30 FPS, com tudo no mínimo e com praticamente poucos ou nenhuns frame drops. E olhem que o PC passa mesmo à risca nos requisitos mínimos, daí ser surpreendente. Ou seja, de performance, os jogadores de Forza Horizon 5 no PC não têm porque se queixar.

Veredito: Diversão garantida

Aspetos técnicos à parte, Forza Horizon 5 é um jogo capaz de entreter por várias horas, especialmente se jogares com amigos. E é isso que o jogo se foca, em diversão. Em cada salto que dás, em cada música no rádio, mesmo em modo stream, em cada pé no acelerador, a cada casa comprada, a cada carro novo ou em cada reforma de carros antigos, uma parte de ti fica empolgado. Não há outro jogo de carros que me tenha deixado tão divertido como Forza Horizon 5, mesmo tendo alguns defeitos que já mencionei. Porquê? Porque não há outro jogo em que ande pelas ruas de uma cidade perdida do México a comprar “chaços” como o 205 Rallye ou o Clio Williams e em corridas frenéticas. O seu fator entretenimento é muito forte. E se os videojogos também não são sobre entregar felicidade ao publico, não sei o que será. Recomendo o jogo vivamente a todos, quer se interessem ou não pelo género. Certamente vão gostar do jogo.

8.0
Score

Pros

  • Diversão garantida
  • Gráfico bom e Frame Rate estável
  • Um jogo completo e carregado de conteúdo

Cons

  • Mecânica e Gameplay demasiado casual
  • Pequenos bugs e imperfeições nas animações

Related posts